História

Jiu-Jitsu Lótus

Como o apreciador já deve ter reparado, este site tem a característica de estimular o aprendizado e ao mesmo tempo conduzi-lo a avançar no bonito caminho da Filosofia Marcial da Plenitude.

A Filosofia do jiu-jitsu é apresentar todo o leque de aprendizado, demonstrando que tudo tem um simbolismo e a sucessão de geração, nos faz herdar o conhecimento e a incumbência de disseminá-las.

Os princípios deste caminho são: paciência, resistência, perseverança, entendimento, aperfeiçoamento e reflexão.Cada ser tem sua trilha individual, o Jiu-Jitsu Lótus vem dar alicerce a esta caminhada. A prática do jiu-jitsu resume nossa existência; ao iniciar a prática, somos leigos e ainda engatinhamos, aquecemos as articulações, flexibilizamos nossos músculos, aumentamos nossos reflexos com os insistentes treinos técnicos para o nosso momento adulto no dojô; o de enfrentar nossas próprias dificuldades, costumes e defeitos, para aos poucos nos moldarmos como o aço que é trabalhado diversas vezes até tornar-se uma boa espada. Momentaneamente nos deparamos também com o nosso “ego” que é atormentado ao sermos finalizado, momento que representa a morte e imediatamente o renascimento, quando passa a raiva e afastamos o “ego” e percebemos que a derrota e a vitória são simbólicas, pois as vezes quem perde ganha na reflexão do momento e quem ganha pode se empolgar com o poder do momento, alcançada graças ao auxílio de uma preparação iniciada por um instrutor. O empréstimo do corpo por parte de seus colegas e é bem a verdade também pela sua digna dedicação, mas a vitória só terá sucesso se honrar esta reflexão; então brotará a humildade verdadeira de saber que vencer e perder são duas faces de uma mesma peça e identificá-las é um dos princípios de estudo do Lótus Jiu-Jitsu.

“Tudo na vida se baseia pelas leis da natureza, o que corre contra é destruído, a favor é vivificado, o doador é agraciado sem precisar receber, o soberano encontra a paz sem necessitar de poder. O Mais destacado não é aquele que aparece e sim aquele que é visto mesmo sem gestos.”

“O Princípio é simples de se seguir, basta sabermos que já somos antes de querermos ser. A máquina que respira, sente, pensa é maravilhosamente igual ao requinte da natureza.”

O Ser vem aqui, nem sempre aprender, muitas vezes ensinar. Para aprender basta olhar, não só com os cristais, mas também com a percepção mental. Para ensinar não basta falar e mostrar, deve intuir a força vivificadora da verdade plena. Todos somos membros apoiadores e apoiados no lema:
“Guiados por Deus”

Translate »